BUSQUE SEU ALÍVIO, ATRAVÉS DO EU INTERIOR DESTES SEUS IRMÃOS
Saint Martin O Filósofo Desconhecido


Deprimido pelos seus próprios sofrimentos, irá recolher-se em seu interior; do centro de seu santuário secreto, seu fervor o levará aos seus irmãos perdidos, insensíveis quanto às suas próprias enfermidades e quanto àqueles que se conduziram ao venerável tronco da espécie humana. Ali tomará seu posto, perto do eu interior de seus irmãos, como Jeremias no portão do Templo de Jerusalém.

Tu irás perturbá-los a fim de que empreguem suas mentes, incessantemente, ao exercício de seus sublimes poderes e à importância da Justiça.

Como atingir seu irmão e apresentá-lo num sacrifício a Deus que seja aceitável.

Diga a este ser interior que os frutos de seu campo são destinados a manter os suprimentos; que se ele se manter ineficiente e não prover sua parte da provisão, o sustento geral será prejudicado; que o campo inativo e desperdiçado, será coberto rapidamente por espinheiros e ervas daninhas que machucam as mãos ou cujas sementes venenosas espalharão infeção; que, a partir de então, irá em breve dar espaço a répteis venenosos ou a animais selvagens sempre prontos a devorar seu proprietário.

Diga a ele que se o cordão que nos conecta a Deus for rompido, estará sempre pronto a ser reatado; convide-o a provar que pela aliança Divina, a vida, a luz e tudo o que possa satisfazer nossa ânsia de admiração, será encontrado; diga que todos os frutos devem ser trazidos de volta ao Altíssimo, pois só Deus possui receptáculos capazes de receberem e armazenarem suas próprias safras.

Diga-lhe que tão logo descemos ao abismo, Deus desenvolveu ao nosso redor seu grande Arco-íris, ou aqueles inumeráveis graus ou passos setenários que estão sempre prontos a nos ajudar a ascender novamente, fora da cova; que o próprio Deus arma seus soldados com esses auxílios poderosos, exigindo que sirvam de acordo com suas armas e empregando-os de acordo com sua luz, força e habilidades.

Incite-o a ingressar no exército do Senhor, mostrando-lhe que sua mão poderosa nunca irá nos expor a uma obra mais severa ou perigosa do que somos capazes de suportar.

Se seu irmão ainda resistir, redobre seus esforços; faça uso dos direitos pertencentes a seu ministério a fim de conquistá-lo e expulse, pelo poder de seu verbo, todos os inimigos que tentam seduzi-lo e extraviá-lo diariamente; não descanse antes de conseguir trazê-lo de volta ao caminho da justiça e apresentá-lo "ao amigo do puro", como um doce sacrifício ao Soberano de todas as coisas.

Não será apenas por causa de teu irmão que irás te devotar à obra sagrada de fazer com que as almas guardem o Sabath, mas por causa do Deus Altíssimo, de quem queres ser o ministro.

De fato, aqueles que trabalham para preencher as vagas do exército do Senhor com almas que irão espalhar sua glória, distinguindo-se por estarem a seu serviço, são os servos mais amados do Senhor.

HOME